Rainha de Portugal Isabel de Aragão

Chico Xavier e seu primeiro encontro com a rainha Isabel de Aragão, ocorrido em 1927:

“Tudo seguia em ordem, quando na noite de 10 de julho referido, dois dias depois de haver recebido a primeira mensagem, quando eu fazia as orações da noite, vi o meu quarto pobre se iluminar, de repente. As paredes refletiam a luz de um prateado lilás. Eu estava de joelhos, conforme os meus hábitos católicos, e descerrei os olhos, tentando ver o que se passava. Vi, então, perto de mim uma senhora de admirável presença, que irradiava a luz que se espraiava pelo quarto. Tentei levantar-me para demonstrar-lhe respeito e cortesia, mas não consegui permanecer de pé e dobrei, involuntariamente, os joelhos diante dela.

A dama iluminada fitou a imagem de Nossa Senhora do Pilar que eu mantinha em meu quarto e, em seguida, falou em castelhano que eu compreendi, embora sabendo que eu ignorava o idioma, em que ela facilmente se expressava:

– Francisco – disse-me pausadamente – em nome de Nosso Senhor Jesus Cristo, venho solicitar o seu auxílio em favor dos pobres, nossos irmãos.

A emoção me possuía a alma toda, mas pude perguntar-lhe, embora as lágrimas que me cobriam o rosto:

– Senhora, quem sois vós?

Ela me respondeu:

– Você não se lembra agora de mim, no entanto eu sou Isabel de Aragão.

Eu não conhecia senhora alguma que tivesse este nome e estranhei o que ela dizia, entretanto uma força interior me continha e calei qualquer comentário, em torno de minha ignorância. Mas o diálogo estava iniciado e indaguei:

– Senhora, sou pobre e nada tenho para dar.  Que auxílio poderei prestar aos mais pobres do que eu mesmo?

Ela disse:

– Você me auxiliará a repartir pães com os necessitados.

Clamei com pesar:

– Senhora, quase sempre não tenho pão para mim. Como poderei repartir pães com os outros?…

A dama sorriu e me esclareceu:

– Chegará o tempo em que você disporá de recursos. Você vai escrever para as nossas gentes peninsulares e, trabalhando por Jesus, não poderá receber vantagem material alguma pelas páginas que você produzir, mas vamos providenciar para que os Mensageiros do Bem lhe tragam recursos para iniciar a tarefa. Confiemos na Bondade do Senhor.”

Livro: Chico Xavier, Mandato de Amor – União Espírita Mineira (U.E.M).