19 de junho – Dia dos Pais na Holanda

Missão paterna

O amor é a doce emanação de Deus, que se derrama por todas as suas criaturas. É a Lei fundamental do Universo. Submeter-se à Lei de Amor é acelerar o passo em direção à conquista da Felicidade Plena.

A Inteligência Suprema transmitiu a cada um dos seres criados, como os genitores transmitem aos seus filhos o código genético, uma centelha, uma semente do Amor. Essa semente existe no íntimo de cada um de nós, por mais decaído seja o ser; nas profundezas d´alma vibra o gérmen indestrutível do Amor.

Assim é que se amam os filhos, amam-se os pais e amam-se os amigos. Há, entretanto, alguns que, misantropos, preferem amar as coisas, as plantas, os animais… Ainda neste caso, observa-se as emanações do Amor.

Ocorre, porém que nem sempre conduzimo-nos pela inspiração do amor e deixamos que a ação retrógrada do egoísmo e do orgulho sobreleve àquele condutor sábio.

Essa a causa da deserção de nossas responsabilidades como pais.

Vejamos o que nos orienta o sábio repositório de ensinos imortais, O Livro dos Espíritos em suas questões de 582 e 583:

582. Pode-se considerar como missão a paternidade?

“É, sem contestação possível, uma verdadeira missão. É ao mesmo tempo grandíssimo dever e que envolve, mais do que o pensa o homem, a sua responsabilidade quanto ao futuro. Deus colocou o filho sob a tutela dos pais, a fim de que estes o dirijam pela senda do bem, e lhes facilitou a tarefa dando àquele uma organização débil e delicada, que o torna propício a todas as impressões. Muitos há, no entanto, que mais cuidam de aprumar as árvores do seu jardim e de fazê-las dar bons frutos em abundância, do que de formar o caráter de seu filho. Se este vier a sucumbir por culpa deles, suportarão os desgostos resultantes dessa queda e partilharão dos sofrimentos do filho na vida futura, por não terem feito o que lhes estava ao alcance para que ele avançasse na estrada do bem.”

583. São responsáveis os pais pelo transviamento de um filho que envereda pelo caminho do mal, apesar dos cuidados que lhe dispensaram?

“Não; porém, quanto piores forem as propensões do filho, tanto mais pesada é a tarefa e tanto maior o mérito dos pais, se conseguirem desviá-lo do mau caminho.”

a) Se um filho se torna homem de bem, não obstante a negligência ou os maus exemplos de seus pais, tiram estes daí algum proveito?

“Deus é justo.”

(O Livro dos Espíritos 76ª Edição FEB – Federação Espírita Brasileira)